Uma onda revival dos anos 80 e 90 chegou em 2011 com muita força. As novelas da época agora têm um canal a cabo especial, alguns seriados e filmes estão sendo regravados, modelos e cores de roupas e acessórios reaparecem com tudo e, claro, a música não poderia ficar de fora.

Com esse movimento, alguns artistas internacionais resolveram passar por Porto Alegre e trazer um pouco do clima da época em que suas canções estouravam nas rádios e nas pistas.

Após a passagem de Roxette em abril e do duo Erasure em agosto, é a vez de Tears for Fears, que se apresenta nesta terça, na capital gaúcha. E para aproveitar e entrar na onda desse clima retrô, perguntamos para algumas personalidades daqui como era o dia a dia delas em meados dos anos 80 e início dos 90. Dá só uma olhada!

Rotina: Na faculdade e já trabalhando com publicidade, eu andava pra cima e pra baixo na noite de táxi, lotação e ônibus. Assistia aos clipes na MTV com antena UHF. Frequentava o Porto de Elis, a Enigma, o Ocidente, o Fim de Século e o Taj Mahal.

Uma lembrança: As noites comandadas pelo Eduardo Herrera no Ocidente, que fechava às 2h com o toque de recolher. O Escaler, aos domingos, as festas da Ellus e as sessões de cinema no Baltimore.

Música: Adorava escutar Yazz, Depeche Mode, New Order e Sade, além de muito house. Era fã dos desfiles de Thierry Mugler, e Freedom de George Michael era um hino. Já dancei ao som de tudo. De Kaoma a Yazz. De Sade a Whitney Houston. De Sonia a Kyllie Minogue. De Madonna a Bonnie Tyler.

Estilo: Vestia muita calça clochard, camisa branca e meias brancas com sapato preto. Coturnos e bermudas, jaqueta Perfecto de couro.
Miltinho Talaveirapublicitário


Rotina: Em 1980, eu tinha 13 anos e já era modelo. Ia no Ocidente, shows no Gigantinho, Pecados Mortais. Depois fui a Ópera Rock, Porto de Elis, Publicitá Café e, mais tarde, ao Elo Perdido.

Uma lembrança: Nina Hagen e The Cure, de quem eu era super fã. E o ícone para mim na época era o Billy Idol. Acho muito bacana esse revival que está acontecendo por aqui com Roxette, Erasure e Tears For Fears, pena que não vieram na época, só o The Cure e Echo vieram em suas fases, que me eu lembre.

Música: Escutava tudo que tocava nas festas e mais alguns clássicos que escuto até hoje. Dançava The Cure, Erasure, Roxette e Tears for Fears.

Estilo: Durante os anos 80, usava muita polaina com legging, minivestidos e capas longas. Era meio dark. E nos 90, jeans Levi's 501, jaqueta de couro tipo perfecto e blusas básicas tipo underwear.
Simone Lopes, modelo e empresária


Rotina: Eu tinha 35 anos e já fazia programas no rádio e tocava com o grupo Os Discocuecas. Frequentava bares, shows e clubes de tênis.

Uma lembrança: As imagens que me remetem àquela época são todas com a minha banda, Os Discocuecas.

Música: Escutava todos os hits estourados nas rádios e também "As Magníficas" de qualquer época. E tenho como ícones do período Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, RPM, Titãs, Barão Vermelho, U2, The Smiths, Van Halen e AC/DC, só para citar alguns.

Estilo: Andava por aí sempre de jeans, camiseta e tênis.
Júlio Furst, comunicador


Rotina: Pegava um ônibus qualquer na Protásio Alves e me mandava pra Osvaldo Aranha de quinta a domingo. Ali se concentrava todo o tipo de gente, normalmente sem grana. Eu ficava por ali, entre o Bar João, o Lola, o Ocidente, perambulando com pouca grana e tentando entrar de graça nos shows do Ocidente. Às vezes ia até o Fim de Século (onde depois foi a Neo), a Crocodillos, o Amarelinho, o 433, o Sacada, o Porto de Elis.

Uma lembrança: A imagem da Osvaldo Aranha cheia de gente pelas calçadas e no meio da rua e sem confusão. Os carros abriam espaço bem devagar no meio de milhares de pessoas que ficavam no meio da avenida.

Música: Confesso que ouvia bem mais rock e gostava de umas bandas mais pesadas, tipo AC/DC, Scorpions, Iron Maiden e aquelas bandas do Rock in Rio I. Os Eles, Barão Vermelho, Legião Urbana, Plebe Rude. Eu gostava muito de uma banda chamada Patife Band, que assisti ao vivo no palco da Terreira da Tribo. E como os punks do final dos anos 70 só chegaram aqui nos anos 80 (não tinha internet, moçada) ouvia os punks importados como Dead Kennedys, Clash e Sex Pistols.

Estilo: Gostava de usar roupas coloridas e de gosto duvidoso por algum tempo. Era o auge da New Wave. Depois eu oscilava entre new wave e punk, mais pros pretos, meio sujo e sempre rasgado. Lembro que eu tinha dois All Star - um verde e um vermelho, que usava sempre um pé de cada cor.
Raul Krebs, fotógrafo

Matéria publicada no site ObaOba, confira na integra clicando aqui

Baixe o aplicativo do Clube! fique por dentro das novidades, sorteios, descontos e agenda de shows
Google Play
App Store
Telefone